Modo de Ver

HOME   /   MODO DE VER   /   TAG   /   VIOLÊNCIA E SEGURANÇA PÚBLICA

A coluna "Modo de Ver" foi publicada semanalmente no jornal Correio de Uberlândia de janeiro de 1996 a dezembro de 2016. A partir de 2017, os textos passaram a ser publicados no Diário do Comércio de Uberlândia.

4 Comentários  
510 Visualizações  
18 de Março de 2015 Alexandre Henry

Minha inveja dos americanos

Ao final de uma viagem aos EUA, fico refletindo sobre nós e a superpotência. Sabe que não sinto inveja de um monte de coisas deles? Eu não sinto inveja, por exemplo, do sistema de transportes. Tudo bem que é legal ter um transporte aéreo tão desenvolvido e estradas e ruas tão largas e bem construídas. Mas, vi muito congestionamento e, …

Ler texto

0 Comentários  
681 Visualizações  
21 de Janeiro de 2015 Alexandre Henry

O tal do bom senso

Você tem direito de andar livremente pela cidade sem que ninguém o agrida. Além disso, o estado tem o dever de te proteger contra agressões indevidas, seja ao seu corpo ou ao seus bens. Isso vale inclusive para o caso de você decidir cruzar a cidade toda noite a pé, sozinho, cheio de joias penduradas e contando dinheiro. É direito …

Ler texto

0 Comentários  
479 Visualizações  
14 de Janeiro de 2015 Alexandre Henry

A liberdade que me toca

O atentado ao Charlie Hebdo provocou diversas reflexões sobre liberdade de expressão e sobre o que é certo ou errado. Duas delas me chamaram a atenção. A primeira debateu a hipocrisia: por que defendemos o direito a uma charge zombando de valores muçulmanos, mas achamos absurda uma piada sobre negros ou gays?

Eu estava tendente a realmente enxergar hipocrisia nesse …

Ler texto

4 Comentários  
521 Visualizações  
3 de Julho de 1996 Alexandre Henry

No final, mais vale a sinceridade

Essa vida é mesmo cheia de altos e baixos, ainda mais quando a gente parte para o lado do coração. Aí a coisa complica de vez, mesmo porque é muito difícil encontrar a pessoa ideal, sempre vai faltar um quê a mais, aquele detalhe que tanto poderia melhorar a relação.

Quando se começa um novo relacionamento, seja ele namoro ou …

Ler texto

0 Comentários  
620 Visualizações  
17 de Junho de 1996 Alexandre Henry

Quem pode ser preso?

Há alguns dias, dois garotos ingleses, condenados pelo assassinato de uma criança, tiveram suas penas reduzidas. A sentença foi considerada abusiva e prejudicial à formação deles. E também há alguns dias, o secretário de Segurança do Rio de Janeiro, General Nílton Cerqueira, afirmou que é necessário reduzir a idade mínima para a aplicação de penas criminais.

De uma lado, temos …

Ler texto

0 Comentários  
544 Visualizações  
5 de Junho de 1996 Alexandre Henry

Bad Girls

Na semana passada, eu falei sobre os seqüestros feitos por universitários que têm acontecido, mas como a minha cabeça anda meio tré-lé-lé, gastei quase uma semana para perceber um detalhe curioso: todos os crimes ou ameaças de crime que citei, e ainda o caso da modelo brasileira presa na França, foram praticados por mulheres.

Eu acho que as feministas não …

Ler texto

0 Comentários  
508 Visualizações  
30 de Maio de 1996 Alexandre Henry

Se isso virar mania

A coisa não está para brincadeiras, mas de jeito nenhum. A gente vê muita moda começar lá no meio da favela, vir assim se enraizando e de repente parar no domínio geral da população, ganhando adeptos até entre os abonados. RAP brasileiro, por exemplo, não nasceu numa boate da Tijuca no Rio, mas foi ganhando voz pouco a pouco na …

Ler texto

0 Comentários  
526 Visualizações  
23 de Maio de 1996 Alexandre Henry

O baseado do Gabeira

Olhando hoje em dia um Fernando Gabeira todo preocupado com as causas jovens, engajado na luta pela descriminalização da maconha, importando um pouquinho do que ele chama de "erva-light", a gente até consegue ver o problema como fácil de resolver. É, claro, não é? Descriminalizou, acabou o tráfico. As pessoas terão acesso a uma erva da boa, com selinho do …

Ler texto

0 Comentários  
514 Visualizações  
13 de Março de 1996 Alexandre Henry

Em clima de protesto

"Vi ontem um bicho na imundice do pátio catando comida entre os detritos. Quando achava alguma coisa, não examinava nem cheirava; engolia com voracidade. O bicho não era um cão, não era um gato, não era um rato. O bicho, meu Deus, era um homem."

Que coisa o nosso mundo, não é? Esse poema de Manuel Bandeira, que aqui eu …

Ler texto