Ed Motta abriu a boca de novo...

Em 2011, pouco antes de me mudar de Porto Velho para Uberlândia, fui a um espetáculo de "stand up comedy" na capital rondoniense. Imagine um formato americano sendo imitado por artistas locais numa capital do norte brasileiro, cuja população do nosso país nem sabe se fica em Rondônia ou Roraima? Parece uma tragédia, não? Puro preconceito. Foi um dos melhores espetáculos de comédia a que já fui.

Lembro-me que, em certo momento, um dos comediantes comentou a então recente fala de Ed Motta, que assim havia escrito em redes sociais: "[Estou] em Curitiba, lugar civilizado, graças a Deus. O Sul do Brasil, como é bom, tem dignidade isso aqui. Frutas vermelhas, clima frio, gente bonita. Sim porque ooo povo feio o brasileiro, (risos). Em avião, dá vontade chorar (risos). Mas chega no Sul ou SP gente bonita compondo o ambiance (risos)". Depois de citar a fala de Ed Motta, o comediante perguntou: "Gente, se o Ed Motta diz que só no sul tem gente bonita, onde ele nasceu? No Oiapoque?!". Perfeito!

Agora, Ed Motta voltou a causar polêmica ao afirmar que não fala português em seus shows no exterior, nos quais também não canta músicas na nossa língua, que não adianta pedir para cantar "Manuel" etc. Além disso, desestimulou os brasileiros "simplórios" de ir aos seus shows lá fora. E, como aconteceu em 2011, voltou depois às redes sociais para se desculpar do que havia dito. É claro que ele recebeu uma enxurrada de críticas, mesmo depois de pedir desculpas, pois muita gente se sentiu ofendida.

Eu não costumo dar muita bola para declarações como essa do Ed Motta. As razões são simples. Primeiro, porque a gente nunca sabe se uma declaração dessas é sincera ou se é apenas um jeito de chamar a atenção. Segundo, porque cada um pensa o que quiser e certamente há outras pessoas que também possuem a mesma visão que o cantor. Terceiro, porque tem muito artista bom que é bom justamente só na parte artística, sendo uma lástima de pessoa, o que não me impede de aproveitar a sua obra e ignorar todo o resto que não tem nada a ver com ela. Por fim, quando o sujeito é tão desprezível que isso chega a afetar a sua obra, eu simplesmente não ouço, não leio ou não vejo. A revista Veja tinha um colunista assim e, depois de dois ou três textos dele, nunca mais li qualquer coisa de sua autoria.

Enfim, não perca seu tempo ficando nervoso com o Ed Motta. Se você gosta da obra dele e acha que dá para continuar ouvindo mesmo com as bobagens que ele diz, siga em frente. Se não gosta, simplesmente ignore suas músicas e, mais do que isso, nem dê atenção para o que ele diz.

Alexandre Henry

ALVES, Alexandre Henry. Ed Motta abriu a boca de novo.... Disponível em <http://dedodeprosa.com/conteudo/mododever/ed-motta-abriu-a-boca-de-novo/>. Acesso em: 14/07/2020